Tinturas de cabelo e tonalizantes - Fabiana Caraciolo

Tinturas de cabelo e tonalizantes

 

Estima-se que cerca de 70% das mulheres adultas já tenham mudado a cor do cabelo ao menos uma vez na vida, seja para cobrir os cabelos brancos ou para mudar a aparência. Diante desta grande demanda, a indústria de cosméticos passou a oferecer uma enorme gama de tinturas com características diferentes.

A haste capilar é composta por 3 camadas sobrepostas que, de fora para dentro, são a cutícula, o córtex (que contém a melanina, pigmento natural do cabelo) e a medula.

Cabelo natural sem tintura ou tonalizante

 

As tinturas são classificadas de acordo com o tempo que conseguem ficar no cabelo, e isto está diretamente relacionado a quanto elas conseguem penetrar no cabelo.

 

Tinturas temporárias

As tinturas temporárias possuem pigmentos cujas partículas são grandes, e assim, não conseguem penetrar em nenhuma camada do fio. O pigmento apenas se deposita sobre cutícula do cabelo e sai com apenas uma lavagem.

 

Agora, se o cabelo estiver danificado (cabelo alisado ou descolorido, por exemplo), as cutículas estarão abertas e este pigmento acaba conseguindo entrar nas camadas da cutícula, e demora 2 a 3 semanas para sair com as lavagens. Então sempre lembrar: se o fio de cabelo não estiver tão íntegro, o pigmento da tintura temporária vai entrar e não sairá com apenas uma lavagem.

 

cutícula normal                 cutícula danificada

Exemplos de tinturas temporárias:

  1. Sprays de retoque de raiz temporário: Magic Retouch da L’Oréal, Koleston, Spray Retoque Instantâneo da Wella, Rita Razan root concealer

spray de retoque de raiz temporário

2. Tinturas coloridas infantis

3. Shampoo roxo

O shampoo roxo é usado com a intenção de neutralizar o tom amarelado dos cabelos platinados, brancos ou grisalhos.

Exemplos de shampoo roxo:

Senscience True Hue Violet

L’Oréal Professionnel Silver

L’Oréal Professionnel Shine Blonde

 

Antes, durante e depois do uso de shampoo roxo para cabelo platinado

Antes, durante e depois do uso de shampoo roxo

 

Lembrando que, se o cabelo estiver muito danificado, o shampoo roxo pode pigmentar o cabelo.

 

Tinturas Semipermanentes

As tinturas semipermanentes contêm pigmento de baixo peso molecular, então ele consegue penetrar dentro da cutícula do cabelo e um pouquinho no córtex.

 

 

Penetração da tintura semipermanente  na cutícula do cabelo e muito pouco no córtex

 

As tinturas semipermanentes não conseguem clarear o cabelo; apenas escurecem. Além disso, elas cobrem apenas até 30% dos fios brancos.

Durante as lavagens do cabelo, as cutículas são abertas e a água retira o pigmento que estava lá nas suas camadas. Essas tinturas saem 6 a 8 lavagens.

Exemplos de tinturas semipermanentes:

Shampoo Schwarzkopf Professional Bold Color Wash Rosa (Pink Wash)

Tonalizante Keraton Banho e Brilho

Henna Surya

Sim, a henna também é uma tintura semipermanente. Ela é um corante vegetal. É extraída das folhas da planta Lawsonia alba, que cresce na África e na Índia. A henna natural apenas promove tonalidades de cor avermelhada. Mas, existem os compostos de henna, que produzem outras cores por conterem sais metálicos.

 

Folhas de Lawsonia alba

Tinturas demipermanentes

Essas tinturas costumam ser confundidas com as semipermanentes porque também são chamadas de tonalizantes, mas não são shampoos.

As tinturas demipermanentes contêm uma substância alcalinizante, que aumenta o pH do cabelo, e com isso, levanta as camadas da cutícula (é um dilatador) para que o pigmento possa atravessar estas camadas e chegar ao córtex. O alcalinizante dessas tinturas é leve e geralmente é a monoetanolamina. Como o alcalinizante é leve, a penetração do pigmento é menos eficiente do que a da tintura permanente.

Além de conter um alcalinizante leve, as tinturas demipermanentes também contêm o peróxido de hidrogênio (água oxigenada), como as tinturas permanentes, porém em menor concentração (2%).

Tonalizantes então não possuem amônia e têm menos água oxigenada, danificando menos o cabelo que as tinturas permanentes, porém, cobrem apenas até 50% dos fios brancos e duram até 24 a 28 lavagens. Há também uma dificuldade de se atingir determinados tons com as tinturas demipermanentes.

Algumas marcas prometem a cobertura de até 70% dos fios com tintura demipermanente.

 

Penetração da tintura demipermanente no cabelo

 

As tintas demipermanentes têm pouco ou nenhum efeito clareador.

 

Exemplos de tinturas demipermanentes:

Casting Creme Gloss da L´oreal

Diarichesse da L´oreal Professionnel

Coloração Soft Color da Wella

Color Touch da Wella Professionals

 

Tinturas permanentes

As tinturas permanentes utilizam pré-corantes, que, quando estão fora dos fios, são bolinhas muito pequenas e sem cor. Os produtos então contém um alcalinizante forte, geralmente a amônia, para elevar o pH do cabelo, de forma que as cutículas são bem abertas, e este precursor do pimento consegue entrar todo dentro do córtex do cabelo.

 

 

Além do alcalinizante forte, as tinturas permanentes contêm água oxigenada em concentração esta bem maior (6%) do que a utilizada nas tinturas demipermanentes (2%).

A água oxigenada, então, oxida a melanina, retirando assim um pouco da cor natural do cabelo e também oxida o precursor do pigmento, transformando-o em uma molécula maior, que fica presa; não consegue sair mais do córtex do cabelo.

As tinturas permanentes cobrem 100% dos fios, são resistentes a lavagens e outros fatores externos como sol, uso de secador e prancha. A necessidade de nova aplicação vai depender apenas do tempo de crescimento da raiz branca.

Uma maneira fácil de reconhecer que uma tintura é permanente é que, na embalagem, vem escrito que o produto cobre 100% dos fios brancos.

 

Exemplos de tinturas permanentes:

Imedia Excellence da L´Oreal

Coloração creme Koleston da Wella

Illumina Color da Wella Professionals

 

Diferenças entre as tinturas demipermanentes e permanentes

Como vimos, estes dois tipos de tintura utilizam os mesmos processos (alcalinizante e oxidação), porém o grau destes processos é menor nas demipermanentes, já que estas utilizam um alcalinizante fraco e baixa concentração de água oxigenada. Isso reflete na menor capacidade de cobertura dos fios brancos (50 a 70%% x 100%) e menor duração desta tintura (até 28 lavagens x não saem com lavagens).

 

Penetração do pigmento nas tinturas semipermanentes, demipermanentes e permanentes

 

Como as tinturas danificam os cabelos?

Os danos aos cabelos dependem de cada passo do processo de tingimento:

1.O alcalinizante, que é o dilatador, vai danificar a cutícula do cabelo, pois vai abrir suas camadas. Quanto mais eu abro a minha cutícula, mais dano eu vou ter. Então:

Tinturas semipermanentes = dano cuticular baixo

Tinturas demipermanentes = dano cuticular médio, pois usam a monoetanolamina (dilatador leve).

Tinturas permanentes = dano cuticular intenso, pois usam a amônia (dilatador forte).

As substâncias alcalinizantes utilizadas no processo da tintura removem uma substância importante para a proteção do fio chamada 18-MEA. O 18-MEA está presente numa camada lipídica que protege a cutícula da entrada de água no fio.

 

Uma vez que tenha ocorrido um dano ao 18-MEA, nenhum produto consegue fechar o buraco de forma permanente.  Ou seja, o dano causado ao fio é irreversível e apenas pode ser parcialmente amenizado temporariamente. E este dano à cutícula deixa o cabelo áspero, ressecado, poroso, sem brilho e mais difícil de desembaraçar.

 

2. A água oxigenada é quem danifica mais o córtex. Então:

Tinturas semipermanentes = não causam dano no córtex, pois não utilizam água oxigenada

Tinturas demipermanentes = pouco dano no córtex, pois usam água oxigenada em baixa concentração.

Tinturas permanentes = dano intenso no córtex, pois utilizam maior concentração de água oxigenada.

 

A água oxigenada ataca alguns aminoácidos que são parte da estrutura da fibra do cabelo, especialmente a cistina, levando à sua degradação, deixando o cabelo enfraquecido.

 

Tinturas permanentes sem amônia

As tinturas permanentes sem amônia utilizam a monoetanolamina como alcalinizante, e esta substância também remove parte da camada lipídica protetora da cutícula do cabelo, porém menos que a amônia.

Porém, estas tintas utilizam água oxigenada em maior concentração que a tinturas demipermanentes. A desvantagem das tinturas demipermanentes é que elas só cobrem até 50% dos fios brancos e saem com as lavagens.

Essas tinturas permanentes sem amônia então provocariam menor dano que aquelas com amônia, porém talvez haja uma menor penetração dos pigmentos  e inclusive algumas usuárias reclamam que não conseguem atingir a mesma cor que atingem quando utilizam a tintura tradicional com amônia.

Exemplos de tinturas permanentes sem amônia:

Garnier Olia

Inoa da L´Oreal

Keune So PUre.

 

Tinturas hipoalergênicas

A parafenilenodiamina (PPD) e a paratoluenodiamina (PTD) são os precursores de pigmentos utilizados na grande maioria das tinturas permanentes e também os principais causadores de dermatite de contato por tinturas.

A maioria das usuárias de tinta, porém, não é alérgica a estas substâncias.

Para tentar atender à demanda das pessoas alérgicas à PPD, surgiram então as tintas chamadas hipoalergênicas.

 

Exemplos de tintas permanentes sem PPD e sem amônia:

Keune So Pure

Essensity da Schwarzkopf

SensiColor Eclat  (Alergoshop)

Inoa da L´Oreal.

Mas, atenção: apesar de não terem PPD na sua composição, muitas destas tintas contêm paratoluenodiamina (PTD), e, quem tem alergia à PPD também não deve usar produto com PTD, pois pode haver reação alérgica cruzada.

Tatuagem temporária de henna negra é um importante sensibilizante à PPD, uma vez que a henna natural permite apenas a obtenção de tons avermelhados, então, para se conseguir outras cores, corantes como o PPD são adicionados.

 

Tatuagem de henna sendo feita na praia

 

É importante também saber que, além da PPD e da PDT, outros ingredientes de tintas têm sido identificados como alérgenos.  Por isso, o ideal é que, antes de usar qualquer tintura, faça-se o teste aplicando uma pequena quantidade dela na pele atrás da orelha, deixando 48 horas sem lavar. Se houver reação na pele, deve-se procurar fazer o teste de contato cutâneo, em clínica especializada, para tentar identificar qual a substância responsável pela alergia.

O uso de tinta com componente ao qual se é alérgico, na maioria das vezes, desencadeia apenas reação local (dermatite), mas pode levar a reações graves, principalmente com o uso repetido do produto.

Em 2018, por exemplo, uma mulher inglesa de 19 anos apresentou edema importante, inclusive com dificuldade para respirar, após utilizar uma tintura com PPD.

 

Jovem inglesa que teve reação alérgica à tintura

 

A jovem já havia tido reação alérgica a outras tintas, e, mesmo assim, não aguardou as 48 horas recomendadas após aplicar pequena quantidade de tinta na pele como teste. Ela aplicou a tinta no cabelo apenas meia hora depois de testá-la.

Então, lembrem-se: mesmo para usar as tintas chamadas hipoalergênicas, é recomendado nunca tingir o cabelo sem testar a tinta em pequena área da pele 48 horas antes!

 

 Tinturas causam câncer?

Numerosos estudos epidemiológicos em relação à segurança das tinturas têm sido conduzidos e a vasta maioria concluiu que não há associação entre o uso de tinturas permanentes e aumento de incidência de câncer em adultos.

 

Grávida pode pintar o cabelo? E na amamentação?

 

 

As únicas tinturas liberadas pelo dermatologista na amamentação e após os três primeiros meses de gravidez são os spray de retoque de raiz temporários, que, como vimos, no início do post, são tinturas temporárias. No primeiro trimestre da gravidez, até mesmo este tipo de tintura temporária evitamos.

Existe um risco do couro cabeludo absorver as substâncias químicas existentes nas tintas e chegarem até o feto. Houve um trabalho retrospectivo que analisou junto o uso de tinturas e alisantes por grávidas e a evolução das crianças até 2 anos de idade. Os autores observaram que havia risco de leucemia no bebê, com uma tendência maior a ter relação com o uso dos alisantes.

 

Quem está com queda aumentada de cabelo ou tem alopecia androgenética (calvície) pode pintar o cabelo?

Sim! As tinturas danificam apenas os fios e não o folículo piloso. A única maneira de uma tinta de cabelo provocar queda  é se ela causar uma dermatite no couro cabeludo. Isto levaria a um aumento de queda de cabelo alguns dias depois do procedimento, mas seria um eflúvio telógeno agudo. que é uma troca aumentada de cabelo. Ou seja, onde um fio vai sendo solto, já existe um novo fio crescendo.

 

Quem alisa o cabelo também pode pintá-lo?

Pode, mas não no mesmo dia.  Fazer os dois procedimentos no mesmo dia, aumenta o risco de quebra dos fios.

Primeiro deve ser feito o alisamento e após 15 dias (no mínimo) é que deve ser feita a pintura. Não se deve fazer a pintura antes do alisamento, pois, durante o processo de alisamento, as cutículas são bem abertas e isto pode danificar a cor da pintura.

 

Para agendamento de consulta, clique aqui.

Para seguir o meu perfil no Instagram, clique aqui.

 

10 Comentários

  1. Dayse Figueiroa disse:

    Extremamente esclarecedor! Como faz diferença a Boa e correta informação. Show, adorei !!!

  2. Raquel disse:

    Amei! Informação extensa, precisa, e embasada. Muito difícil encontrar material assim. Pena que só atende em Campinas 🙂 Irei recomendar o material às minhas amigas.

  3. maria disse:

    Até que enfim informação de pessoa competente, obrigada!!!

  4. Ila disse:

    Dra, e essas tintas veganas sem amônia, sem chumbo e sem água oxigenada (Ex: Embelleze Natucor) ? Podem ser usadas por gestantes? Também nunca li um artigo tão esclarecedor! Obrigada Dra!

    • Dra. Fabiana Caraciolo Tricologista disse:

      Que bom que gostou do artigo, Ila! Sobre a Embelleze Natucor, ela diz “perfeita cobertura dos brancos” na embalagem. Para cobrir bem um fio branco, o produto precisa abrir a cutícula do fio para depositar o pigmento lá dentro, no córtex do cabelo. se não houver uma substância que faça isso, além de não tingir bem o fio branco, a tinta sairia em pouquíssimas lavagens. E essas substâncias que fazem esta abertura importante das cutículas não têm estudo de segurança em grávidas. Então, mesmo que a tintura seja sem chumbo, amônia ou água oxigenada, outros compostos ali estão substituindo estes compostos. Prefiro recomendar a gestante não usar.

  5. Lili disse:

    Dra, excelente texto! Obrigada. Fiquei com uma dúvida: É possível ter problema de quebra, queda ou qualquer problema ao usar uma coloração permanente após 6 meses de henna creme? Porque eu li isso em advertências da “bula” da coloração e sempre soube que a henna era um produto natural. Obrigada

    • Dra. Fabiana Caraciolo Tricologista disse:

      Olá, Liliana! Se na coloração, já indica que não deve usar nos fios com henna, é melhor seguir esta recomendação. Pode ser que o fabricante da tinta oriente isto porque nem todo produto dito “henna” é 100% natural. Tem que ler a embalagem do produto e, mesmo que diga que é 100% natural, fazer um teste de mecha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!