Mesoterapia capilar - Fabiana Caraciolo

Mesoterapia capilar

Mesoterapia e MMP capilar

 

Mesoterapia e MMP capilar

 

Mesoterapia ou intradermoterapia é um procedimento médico no qual injetamos medicações na camada da pele chamada derme diretamente na região do corpo que queremos tratar. Então, no caso do tratamento da calvície, nós injetamos as medicações na derme do couro cabeludo.

 

Camadas da pele

 

A camada superficial da pele, chamada epiderme é muito importante pela sua função de barreira, impedindo a entrada de micro-organismos, evitando a perda de água, mas, por outro lado, essa nossa barreira natural dificulta também a entrada das medicações quando as aplicamos sobre a pele.

 

Então a ideia da mesoterapia é, primeiramente, a de que, através das agulhas, ultrapassar a barreira da epiderme e conseguir, assim, entregar uma maior quantidade da medicação na derme do que quando utilizada passando apenas passando sobre a pele.

Mesoterapia capilar

Então, em relação à calvície, por exemplo, a gente sabe que grande parte do minoxidil, quando aplicado sobre o couro cabeludo, não é absorvida, porém, mesmo assim tem sua eficácia comprovada. Ao injetarmos o minoxidil no couro cabeludo, chega uma maior quantidade da medicação no nosso alvo e assim podemos potencializar o tratamento de casa.

Um segundo ponto legal é que, na mesoterapia,  as medicações são entregues em microdoses diretamente onde queremos que elas ajam: no couro cabeludo, diminuindo, assim, o risco de efeitos colaterais quando comparada ao uso das medicações por via oral.

É importante lembrar que, as medicações quando injetadas na pele são sim, em parte, absorvidas para a corrente sanguínea então se um paciente apresenta alguma contraindicação ao uso oral de determinada medicação, ex: finasterida, ele também não poderá utilizá-la através de injeção no seu couro cabeludo.Então, mesoterapia tem contraindicações sim e incluem todas aquelas das drogas que está se pensando em injetar.

Uma terceira característica bastante interessante da mesoterapia é que ao conseguirmos entregar as medicações na derme, esta camada da pele se torna um reservatório no qual as medicações permanecem por semanas e, assim, elas mantêm um tempo prolongado de ação. Por isso, nós podemos dar intervalos entre as sessões de 30 dias ou até mais de acordo com a substância utilizada e de acordo com cada caso.

 

Mesoterapia e MMP

Quando utilizamos a palavra “mesoterapia”, geralmente, estamos falando da técnica que utiliza seringa e uma agulha. Mas, existe também a possibilidade de utilizarmos injetores eletrônicos com múltiplas agulhas.

Mesoterapia capilar

E aí chegamos na técnica chamada MMP, que é a abreviação de microinfusão de medicamentos na pele. Esta técnica foi idealizada pelo dermatologista brasileiro Dr. Samir Arbache, e nela é utilizado um aparelho eletrônico vibratório no qual acoplamos um cartucho com microagulhas. E estas microagulhas perfuram o couro cabeludo, causando mínimos ferimentos, e ao mesmo tempo, injetam medicações.

 

MMP capilar

 

MMP capilar

 

E quais a vantagens da MMP em relação à mesoterapia?

 

Mesoterapia x MMP

Na MMP, nós conseguimos controlar melhor a quantidade de medicação injetada e o espaço entre as injeções, de forma que a medicação é entregue de maneira mais uniforme,  reduzindo o risco de  compressão de vasos sanguíneos, o que pode causar falta de oxigênio ao tecido levando a perda de cabelo. Como, na mesoterapia, a entrega da medicação é feita “em bolus”, o risco desta complicação é maior.

Como o nosso objetivo aqui é apenas a entrega das medicações na derme, nós buscamos introduzir as agulhas bem superficialmente, de forma que não haja injúria do couro ou sangramento importante. Com a máquina de MMP nós conseguimos controlar bem a profundidade que as agulhas irão alcançar, de forma que o sangramento é mínimo (o que se vê é um orvalho) e a dor é bem menor que a da mesoterapia. Na maioria das vezes, a sensação descrita pelos pacientes é de apenas um desconforto. Este, por exemplo é o aspecto de um couro cabeludo após uma sessão de MMP:

 

 

Uma vez que a MMP seja feita com a mão leve, ocorre então uma entrega delicada das medicações através das microperfurações, com o mínio de sangramento e dor. Não é necessário, assim, bloqueio anestésico ou uso de anestésico tópico antes da MMP.

 

INDICAÇÕES:

 

  • Falha do tratamento convencional: pacientes que estão, há 1 ano ou mais, em tratamento com as medicações usuais, mas não têm tido bons resultados.

 

  • Tratamento complementar desde o início: pacientes que desejam potencializar os tratamentos usuais domiciliares, buscando resultados mais rápidos.

 

  • Tratamento isolado: paciente com receio de efeitos colaterais de alguma medicação quando utilizada por via oral, por exemplo: finasterida.

Geralmente, o protocolo de MMP é: 1 sessão mensal por 3 meses e, depois, tratamento de manutenção a cada 3 a 6 meses, dependendo de cada caso.

 

Contraindicações:

As contraindicações são as mesmas de cada medicação que o dermatologista pensa em injetar, pois a medicação em parte passará sim para a corrente sanguínea.

 

Pode haver complicações com a mesoterapia?

Assim como outros procedimentos em que utilizamos agulhas, a mesoterapia também pode evoluir com complicações, mas estas são incomuns se a técnica é utilizada por dermatologista.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *