Anticoncepcional e Queda de Cabelo - Fabiana Caraciolo

Anticoncepcional e Queda de Cabelo

Tipos de anticoncepcionais hormonais

Você sabia que, dependendo do tipo do anticoncepcional, ele pode causar piora ou melhora da perda ou queda de cabelo?

No post de hoje, vou explicar um pouco desta relação entre anticoncepcionais hormonais e os cabelos.

Bom, o primeiro tipo de queda de cabelo que pode ter relação com os anticoncepcionais é o eflúvio telógeno agudo. Ocorre uma queda de cabelo intensa cerca de 3 meses após a parada de um anticoncepcional, pois, durante o seu uso, o estrógeno estava prolongando a fase de crescimento dos cabelos. A partir do momento em que o estrógeno é descontinuado, este estímulo cessa, e o ciclo do cabelo volta ao seu normal, indo para a fase de queda. Este tipo de eflúvio não deve ser motivo de preocupação pois não leva a uma perda de cabelo. Há apenas uma troca, renovação, e a queda costuma voltar ao seu normal cerca de 3 a 6 meses depois.

O segundo tipo de influência do anticoncepcional hormonal nos cabelos é em relação à calvície feminina (alopecia androgenética feminina). E aqui temos realmente um problema importante, pois, dependendo do anticoncepcional usado, não há apenas uma queda de cabelo, mas também afinamento do cabelo e perda capilar. Existem várias progesteronas que podem ser utilizados para evitar gravidez. O que muita gente desconhece é que algumas, mesmo em doses baixas, pioram a perda de cabelo causada pela calvície feminina.

O levonorgestrel, por exemplo, que está presente em vários anticoncepcionais em forma de comprimido e também no DIU Mirena, é uma das progesteronas com alto efeito androgênico, ou seja, pode piorar a acne, provocar aumento de pelos no rosto e piora da calvície.  Mesmo a absorção sendo pequena, no caso do DIU Mirena, esta pequena quantidade já é suficiente para causar problemas em pessoas com sensibilidade aumentada aos andrógenos.

O ideal então seria passar em consulta com um dermatologista antes de iniciar o uso de um anticoncepcional ou ao verificar que está tendo problema na pele ou nos cabelos com o uso dele, principalmente se tiver histórico de calvície na família.

A calvície afeta cerca de 50% das mulheres, ao longo da vida, e é uma doença crônica progressiva, ou seja, se não combatida, a perda de cabelo se acentua cada vez mais, deixando o couro cabeludo aparente.

Por outro lado, existem as progesteronas com ação antiandrogência, ou seja, que reduzem a ação da testosterona e da DHT. Dessa forma, anticoncepcionais contendo progesterona antiandrogênica podem ser usados para tratamento da acne e da alopecia androgenética feminina, desde que excluídas as contraindicações.

Para saber mais sobre a alopecia androgenética feminina (calvície feminina), clique aqui.

Caso tenha interesse em agendar uma consulta, entre em contato conosco clicando aqui.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *